COMUNICADO 260-21/2019 — BALANÇO SÃO JOÃO 2019

Caros (as) Aldeenses, boa  noite!

Como de praxe, estamos cumprindo a obrigação de avaliar a nossa festa de São João 2019, ocorrida no dia 23 passado.

Comparativamente ao evento do ano passado:

1)      Compareceram 201 pessoas pagantes (215 em 2018), e, ainda, muitas crianças e colaboradores;

2)      A chuva colaborou bem mais neste ano e apareceu apenas uma vez por alguns minutos;

3)      O casamento comunitário surpreendeu porque foram 29 as adesões, 29 casais que se casaram. Agradecemos ao padre Penitêncio que, ao final, tirou a batina e se casou também…

4)      A receita foi menor que a do ano passado porque neste ano houve promoção (CASADINHAS), o que não foi praticado no ano passado;

5)      As despesas foram maiores porque tivemos que pagar mais mão de obra (a festa foi no domingo requerendo a contratação de mão de obra para a preparação, em dia não útil e no dia seguinte, feriado);

6)      No ano passado pediram muito que fizéssemos uma festa com forró pé de serra. O Trio Capitão Virgulino tocou 74 músicas tradicionais de autêntico forró, sem repetir uma sequer, mas, pelas “resenhas” os participantes da festa prefeririam que tivesse se apresentado uma banda mais eclética, que tocasse de tudo e não apenas forró. Ao final, o vocalista lamentou que o forró pé de serra está se extinguindo e agradeceu aos Aldeenses por terem conferido valor a esta arte que tende, infelizmente, a desaparecer… Foi emocionante o seu depoimento. Só faltou pedir “não deixem o pé de serra morrer…” Fica anotado, para o ano.

Afinal, a festa não deu lucro, mas, também não deu prejuízo significativo. Mais uma vez fica comprovado: não há como a administração usar dinheiro do caixa da Associação para bancar festas, a não ser pequenas comemorações. Costumamos dizer que o dinheiro do condômino é sagrado, tem destinação comum, não pode ser utilizado para beneficiar grupos de pessoas. Temos que nos lembrar sempre de que existem muitos condôminos que não gostam do social, não frequentam festas, não bebem, não jogam baba, etc. Pagam a taxa condominial e querem ver resultados. Por isso, espero que entendam que, quando cobramos ingresso é porque não tem como fazer de forma diferente, não há como a Associação bancar tais despesas. E, para aqueles que dizem que poderia ser mais barato perguntamos: cortar o quê? Diminuir quais despesas?

Esperamos ter prestado a vocês os esclarecimentos necessários e que tenham apreciado o evento, ainda que com ressalvas.

Obrigada.

Zaida Castro e Diretoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *